4.9.10

"Admiro-te a capacidade de perceberes quase tudo sem ter que te explicar quase nada."

« Fiz das tuas as minhas palavras e cumpri as tuas promessas, estive contigo em momentos que caminhavas só por não deixar que seguisses um caminho ao acaso sem mim, para te guiar e acompanhar, para te fazer ver que não carregaria sozinha a força deste amor. Sempre que estava contigo não olhava para trás, tinha a felicidade do meu lado. Eu sei que se o mundo der uma volta completa em segundos vai-nos pôr no mesmo lugar. Os homens raramente se explicam, e quando o fazem, fazem-no mal. Foi por isso que nem sempre percebi os teus sinais ou formas de entendimento. Desculpa. Por teres, muitas vezes, sozinho, aguentado as maiores e mais complexas crises da minha parte. Admiro-te a capacidade de perceberes quase tudo sem ter que te explicar quase nada. Percebes como me sinto e mesmo assim pedes-me humildemente para não te estragar o dia. Provavelmente já percebeste que tenho, muitas vezes, dúvidas em relação ao que sentes e ao facto de estarmos juntos, mas preferes que o tempo me guie no caminho certo, e respeitas as minhas hesitações. Com toda a calma. Não há dúvida que tu, com todos os defeitos que já tos apanhei sem perdoar, vales a pena. Sempre soube que as nossas diferenças iam servir para nos unir, e não para nos afastar. (...) Todos os passos que dei, somados, foram na tua direcção. Sabia que estava a ir pelo sítio certo, é pelos teus olhos que sei quando estou no fim da viagem. Quando olho para ti não vejo no que te tornaste. Vejo-te como sempre vi. Porque é certo e sabido que importa o que és quando estás ou não comigo, e não o que foste em tempos que não estavas na minha vida. Se pudesse acolhia-te todos os dias, noites em que te contava histórias e inventava-lhes o fim. Juntava-lhes a nossa e sei que era a única forma de nelas acreditares.O mito do Príncipe Encantado perseguiu-me durante anos, e agora é a tua imagem que lhe ocupa o lugar. Não há príncipes encantados, há homens que gostam, ou não de nós. E tu gostas, que eu sei. Amarei outros homens. Amar-te-ei em outros. Tu, todos. Mas não voltarei a dar à paixão palavras excessivas e perigosas. »
[ Este texto não fui eu que escrevi. ]

Música deste post: Kutless - Promise of a Lifetime.

16 comentários:

cada pessoa tem a sua opinião, dá a tua.