6.4.16

(Falta) Educação

A capacidade tão fácil de uma pessoa ser má, egoísta, invejosa e querer o mal para as pessoas hoje em dia é tão grande que me assusta. Eu sei que não há seres humanos perfeitos, não fomos feitos para sermos perfeitos mesmo que quisessemos. Toda a gente erra, fala, discute, mas há um limite dos limites que qualquer pessoa com discernimento consegue chegar lá. E confesso que tenho pena, muita pena, das pessoas que nunca vão chegar lá. Pena porque nunca vão aprender mais nada além de desejar o mal, de praticar o mal... de ensinar o mal. Nunca vão ser felizes. Sempre ouvi dizer que uma pessoa quando fala mal é porque não é feliz e quer atenção. Para mim é triste chegar a esse ponto. Para mim essas pessoas são crianças pequenas, mesquinhas. Sem ofender as crianças (de pouca idade) que às vezes já conseguem ter um melhor pensar do que as crianças de espírito. "Falar da vida alheia é nada mais nada menos que uma tentativa de esquecer um pouco que a sua própria vida é uma porcaria." Ouvi dizer.
Para mim podem falar o que quiserem. Graças a Deus sei o que fiz, quem tenho, o que consegui, o que me tornei e a educação que me deram. Repito, educação. Tão pouca que há hoje em dia. Não é algo que se compra, é apenas algo precioso que se ganha com o tempo. E há duas opções: ou aprendes a tê-la ou morres estúpida. Todos somos estúpidos de vez em quando por alguma razão mas é muito triste nunca o deixar de ser. É só a minha opinião e vale o que vale.
"Infelizmente, este tipo de comportamento só tem lugar na nossa sociedade por que há público para o veneno e a maldade destas pessoas que só conseguem expelir pensamentos vis contra quem é feliz. Se o vil não tivesse plateia e reprovado fosse, aprenderia a lição e talvez passasse a ser uma pessoa melhor. Mas quando o vil espalha o seu veneno, ele ganha um pouco da atenção que ele aprecia e quer ter – da mesma forma que tem aquela pessoa que está a fazer sucesso. E não é um caso para se ter raiva de quem é vil, mas compreensão, por que o vil simplesmente não é feliz, e assim não é merecedor de ódio, mas de pena..."
Augusto Branco

29.2.16

Menina, já mulher

Menina sonhadora, menina complicada, menina bipolar, menina guerreira. Não deixo de ser menina, já mulher. Com objetivos de vida, com sonhos concretizados e outros mais por concretizar. Com vitórias, muitas duras, com derrotas que não se esquecem. Com um coração mole e fácil de magoar mas com uma força interior capaz de seguir sempre em frente e lutar, capaz de levantar a cabeça nos momentos mais complicados. Quem sabe o que é a vida, sabe que ela não é fácil, só os guerreiros encaram a vida com esperança de dias melhores. De um futuro de sucesso.
Hoje sinto-me orgulhosa. Nestes últimos anos tive vários momentos em que a desistência era a opção mais fácil. E muitas vezes ela passou-me pela cabeça, muitas vezes mesmo. Para conseguir o que queria tive de batalhar como nunca batalhei na minha vida. Tive de arranjar forças sabe-se lá aonde, eu própria pensei que não as tinha, juro. Mas tinha-as, muito bem guardadas e pelos vistos para os melhores momentos. Porque apesar de tudo à volta muitas vezes não ter sido fácil posso dizer que não desisti e consegui. E sabes? Soube bem. Depois de tanta luta conseguires é como uma chapada para ti mesma por pensares que não eras capaz.
Aos poucos as coisas melhoram e a tua vida, quando pensas realmente nela, já deu uma reviravolta enorme e tu nem deste conta. Faz parte. Nada é eternamente igual. E ainda bem. 
Acho que o segredo é mesmo não desistir mesmo sabendo que o amanhã pode não ser como estávamos à espera. É saber lidar com as situações da melhor maneira, mesmo sendo difícil. É agarrar-nos a quem nos faz feliz e a nós próprios. 


E foi com os altos e baixos destes últimos anos que sei que há uma pessoa ao qual também devo lutar todos os dias porque a amo como nunca amei ninguém e que realmente me merece e respeita. Alguém que me levantou, que me aconselhou... acreditou em mim. Que me acompanhou na alegria e nos momentos de tristeza. A quem continua comigo lado a lado. A querer percorrer o mesmo caminho que eu todos os dias. O meu menino, já homem.

13.3.15

Aprendizagem constante

A vida dá voltas e voltas. Cada vez mais me acredito que se tem de ir primeiro para o caminho errado da vida para depois encontrar o certo. É preciso ir ao fundo para depois dar mais valor às coisas verdadeiramente importantes. Antes acreditava que o destino já estava traçado, hoje sinto que somos mesmo nós que criamos o nosso próprio destino.
A vida, a meu ver, é saber levantar a cabeça nos momentos difíceis e encarar isso como mais uma aprendizagem. Não conseguir o que queremos naquele momento é saber dar mais valor quando o conquistarmos. É errar, como todas as pessoas, mas não cometer o mesmo erro. É não desistir do que queremos mesmo quando tudo parecer estar contra nós. É acreditarmos em nós mesmo quando ninguém parece acreditar. É amar-nos a nós próprios mais do que a qualquer outra pessoa. É ter iniciativa no momento em que a nossa cabeça nos diz "faz", sem medos. É não deixar de sonhar, de ter esperança, de ter fé. Aprendi que tudo tem um propósito. Tudo tem um porquê. Mesmo que demoremos anos a entender porque certas coisas tão más nos aconteceram. 
Hoje vejo todos os meus maus momentos como uma fonte de força que se vai criando ao longo do tempo dentro de mim. Hoje considero-me uma pessoa mais forte do que há uns anos atrás e foram esses mesmos momentos que me fizeram acreditar nisso. É importante saber retirar uma lição de vida nos momentos maus e dar valor às coisas boas. Por mais pequeninas que possam ser. Só faz sentido viver, quando encaramos a vida tal e qual como ela é. Cheia de altos e baixos. Uma eterna aprendizagem. 

(Hoje faz 5 anos que criei o meu blog. Obrigada a todas as pessoas que desde que o criei me apoiaram, que me deixaram desabafar e que desabafaram comigo. Nunca esquecerei.) 

27.7.13

Esquecer para viver

Há uns dias perguntaste-me "Se tu queres, porque estás sempre na dúvida?" E eu respondo, nem sempre o coração quer o que é certo, nem tudo o que nos vai no coração é o correto. Se o seguisse ia ter contigo e não questionava uma única vez, se estava a fazer o certo ou o errado porque na verdade, estava-me a borrifar. Sempre disse que ao arriscar também há possibilidade de vencer e de conquistar o que desde sempre foi o meu objetivo, mas também há a mesma possibilidade de perder, ao qual neste momento, não suportaria que tal acontecesse. 

Mas hoje a situação é diferente, por mais que não seja pessoa de desistir, há coisas que realmente não merecem persistir nelas, porque eu já sei o final, o que vai acontecer, como vou ficar. Talvez não entendas a minha posição, mas pensa... mereço alguém ao qual eu seja o seu primeiro motivo de sorrir, que seja a primeira pessoa que pensa ao acordar, que seja a primeira e a única a que tenha vontade de estar... isso é ser verdadeiro, comigo e contigo. Isso era a situação que me faria lutar até não conseguir mais. 
Tu sabes os teus limites, o que consegues e o que não consegues fazer. E eu também sei, por isso é vou tentar esquecer. Porque mereço realmente alguém que goste de mim por inteiro. 

10.7.13

Duro sentimento

Há sentimentos que inevitavelmente aparecem mas que, por alguma razão, não faz sentido existirem. Seguir em frente é sempre o caminho a seguir, mesmo que toda a minha esperança persista a cada segundo que nada disto acabou. 
Eu desejo esquecer-te, tanto como desejo ter-te aqui. Sinto tanta revolta por sentir isto por ti, como me aquece o coração este carinho que carrego comigo. Sinto tanto que tu nunca mais vais voltar, como sinto que "num amanhã" bem próximo tu dizes "estou à tua espera, vem ter comigo". Quero tanto fechar-te a porta do meu peito, como quero um reencontro contigo e um abraço bem forte e que me digas "não consigo estar sem ti". 
É tão complicado. Se as coisas nunca iriam dar certo, porque é que os sentimentos aparecem? 
Estou cansada de sentir coisas que não valem a pena. Dizem que tudo é uma aprendizagem, mas eu queria agora deixar-me disto e ser feliz. Talvez ninguém me entenda, até porque muitas vezes nem eu mesma entendo o porquê de tamanho sentimento, mas ele existe, quer eu queira quer não. Quer faça ou não sentido. 
E agora diz-me... como faço para te deixar ir embora de vez? Diz-me palavras feias, diz que não vai dar certo, diz qualquer coisa que me faça querer esquecer-te. Alguma coisa que me faça ter forças para seguir em frente de cabeça levantada. Mas faz alguma coisa, por favor.