22.12.10

Hoje sim, amanhã não sei se vais a tempo!

Tumblr_ldtrfpnswy1qev05ao1_500_large´
« Se eu conseguisse abrir o meu peito e arrancar o meu coração, dava-to a ti. Assim, todos os dias, quando olhasses para ele e o visses partido, sentirias o teu a apertar com a culpa de teres destruído o meu. Ultimamente tenho sentido raiva de ti cada vez que oiço o teu nome, que oiço a tua voz ou cada vez que me lembro daquilo que já me disseste e que agora parece que te esqueceste. Às vezes apetece-me fingir que não te conheço, só que depois começo a lembrar-me que houve um dia que me apaixonei por ti e que te amei mais que tudo na minha vida. Então nesse momento tenho a certeza que nunca na minha vida poderei esquecer o meu único e verdadeiro amor, por mais que ele me magoe. Quando te vejo a passar, atravesso a estrada e mudo de passeio mas antes de virar a rua, olho sempre para trás para te ver partir, ou talvez olhe simplesmente com a esperança de te ver a largares tudo e a correres para mim. Tenho-me sentido desapontada contigo por tudo o que me estás a fazer passar. Porque apesar de tudo eu continuo a amar-te, mas tenho raiva porque sei que estas a acabar com tudo o que sinto por ti. A cada dia que passa a dor vai substituindo o amor e tenho pavor de um dia vir a odiar alguém que já amei tanto. Tenho medo de vir a odiar-te por abrires uma ferida tão profunda em mim. Não nego que ainda és o meu ar, que ainda penso em ti todas as noites, que sonho com o teu corpo e com o teu beijo. Não nego que ainda tenho saudades tuas, e saudades minhas quando estava contigo. Saudades da felicidade e do amor que só consegui alcançar ao teu lado. Sei com todas as certezas do mundo que se quisesse voltar para mim hoje, ia abrir-te a porta e deixar-te entrar. Sei que te ia deixar ficar para sempre. Mas tu preferes voltar amanhã, ou talvez depois de amanhã. Preferes arriscar o amanhã em vez de te agarrares à certeza do hoje. Foste a única pessoa por quem eu daria a vida, agora limito-me a habituar-me ao cheiro da tua ausência, à dor de um coração ferido, e ao sabor amargo daquilo que poderíamos vir a ser mas não somos. Sabes, eu ainda te amo, eu ainda te quero, hoje. Mas amanhã, posso já não estar aqui. (...)
Porque eu posso nunca vir a esquecer o grande amor da minha vida, mas posso habituar-me a viver sem ele.»

18 comentários:

  1. «Porque eu posso nunca vir a esquecer o grande amor da minha vida, mas posso habituar-me a viver sem ele.» - uauu :o

    bem, este texto está fantástico. força <3

    ResponderEliminar
  2. Texto bonitito :)
    Essa habituação...é um tanto difícil, mas consegue-se ;)

    ResponderEliminar
  3. Bastante profundo. Um belo desabado. Será que não está na hora de esquecer? *

    ResponderEliminar
  4. muito obrigada querida, igualmente :)

    texto magnifico =O

    ResponderEliminar
  5. O meu reino da noite gostaria de te desejar um FELIZ NATAL! :)

    Beijinhos ***

    ResponderEliminar
  6. hmm, assim assim :p
    é um sonho a realizar xD

    ResponderEliminar
  7. Tem força Alexandra :)
    É certo que isto nos deixam despeçadas, tristes, em baixo. mas sabes temos que arranjar algo que nos anime **

    ResponderEliminar
  8. é normal :x
    mas espero que corra tudo bem :'b
    conheceste o e apesar de por pouco tempo podes dizer que realmente soubeste como ele é :')

    ResponderEliminar
  9. aww,w obrigada (:
    esta lindo :o
    feliz natal *.*

    ResponderEliminar
  10. eu só concordo contigo, a musica é mesmooo linda!
    obgd por teres passado por lá (:

    ResponderEliminar

cada pessoa tem a sua opinião, dá a tua.